blog-img

CÁSSIO PEDRO ANTÓNIO, ENTRE OS LICENCIADOS OUTORGADOS PELA METODISTA

admin | Eventos da Universidade

Cássio Pedro António, 30 anos de idade, licenciado em Engenharia Informática, pela Universidade Metodista de Angola revela sua alegria por este momento, em que, depois de um longo percurso e algumas dificuldades, conseguiu superar os desafios e tornar-se o engenheiro que sonhou ser. Quando precisou, soube empreender, assim como não se intimidou com as dificuldades financeiras.

Recorreu à Universidade e conquistou uma Bolsa de Estudos. Hoje, sente-se cheio de energia e motivação para buscar o seu lugar no mercado de trabalho, pois que a Universidade o preparou adequadamente, atribuindo-lhe as competências necessárias para exercer o seu ofício, e também a consciência colectiva que lhe permite declarar: “sinto uma grande emoção, uma enorme satisfação, pois também consegui agregar valores que serão úteis para minha família e a sociedade”.

Ao falar dos obstáculos que teve que enfrentar, começa por apontar a mobilidade, pouco comum, segundo ele relata, nas Universidades, e até mesmo em algumas instituições públicas. É ele quem conta: “a questão da mobilidade foi o grande impasse que posso aqui relatar. Algumas instituições, públicas muitas vezes, não estão preparadas para receber estudantes com deficiência física. Por exemplo, outras Universidades que conheço e não importa dizer o nome, quase nenhuma delas têm acesso nos edifícios para nós, que somos deficientes físicos”. A Universidade Metodista se preocupa com isto. E, se algumas vezes, sentiu o preconceito de certos: “graças a Deus nunca sofri nenhum tipo de discriminação dos funcionários, até pelo contrário, fui sempre acarinhado e apoiado por eles; e se o elevador apresentasse uma avaria, levavam-me até a sala, principalmente o pessoal de limpeza e os seguranças”.

Ainda criança, Cássio já demonstrava gosto em montar e desmontar equipamentos electrónicos. E já como estudante, reparou quase todos os computadores dos seus colegas, através de uma microempresa que criou em casa.

Assim, seguiu seu sonho de se tornar um engenheiro tecnológico. Na Faculdade, também, criou dois sistemas integrados, e com o seu projecto, trabalha individualmente em Reparações de Sistema Informáticos. Empreendedor, Cássio não teme o futuro. Sente-se preparado para enfrentar o mercado de trabalho, e qualquer outro desafio neste ramo. E isto é possível, ele declara, que no país a Universidade Metodista deu o maior passo nesta área. Nós já recebemos vários prémios de mérito dos vários projectos de TI (Tecnologia de Informação), resultado das aulas práticas que nos permitem conhecimento profundo da Informática”. Para Cássio, antes de ser um problema, a deficiência pode ser um benefício. “Durante a minha formação eu pude perceber duas coisas importantes: cada situação da vida pode ser benéfica de algum modo;

Outras Postagens